You are here

Impacte

  • A identificação de 50 raças de ferrugem (H. vastatrix) e 50 grupos fisiológicos de resistência.
  • Demonstração de que a teoria de gene-a-gene de Flor pode ser aplicada à interação cafeeiro-ferrugem. De acordo com esta teoria, foram inferidos 9 genes de virulência (v1-v9). Identificação de 9 genes de resistência (SH1-SH9).
  • Um passo decisivo no sucesso das investigações levadas a cabo no CIFC foi a descoberta em finais de 1950 da resistência à ferrugem do Híbrido de Timor (HDT), um híbrido natural espontâneo entre Arabica e Robusta. Alguns derivados de HDT, com resistência a todas as raças de ferrugem conhecidas, foram utilizados em alguns programas de melhoramento genético do cafeeiro à ferrugem originando as variedades vulgarmente designadas por Catimor e Sarchimor.
  • Tanto o HDT como seus derivados e outros genótipos de cafeeiros com diferentes espectros de resistência à ferrugem foram disponibilizados gratuitamente para instituições cafeeiras de países cafeicultores que os solicitaram.
  • Mais de 90% de variedades de cafeeiro cultivadas actualmente foram criadas directa ou indirectamente a partir de estudos efectuados no CIFC.
  • Desde 1989, a caracterização de milhares de genótipos de cafeeiro, com isolados de C. kahawae, provenientes de diferentes regiões Africanas tem permitido identificar plantas com diferente espectro de resistência a este agente patogénico.
  • Isolados de C. kahawae foram caracterizados no CIFC (agressividade, compatibilidade vegetativa, isoenzimas, polimorfismo molecular).