You are here

Lagarta do pinheiro - Há um fungo capaz de matar os ovos e larvas desta praga

Trata-se de uma descoberta realizada no âmbito de um estudo internacional que contou com a participação do ISA
Larvas mortas com fungos - Autor da foto: Investigador Hugo Gonçalves

O fungo Metarhizium brunneum é capaz de provocar uma mortalidade significativa de ovos e larvas jovens de duas espécies de processionária do pinheiro (Thaumetopoea pityocampa e Thaumetopoea wilkinsoni).

É esta a conclusão de um estudo internacional que contou com a participação do Instituto Superior de Agronomia. O artigo foi publicado na revista “Biocontrol Science and Technology”.

Durante a investigação foram conduzidos bioensaios para determinar a susceptibilidade dos ovos e larvas jovens daquelas duas espécies de lagarta do pinheiro a dois tipos do fungo entomopatogênico Metarhizium brunneum. A mortalidade dos ovos tratados por ambos variou entre 96% e 99%.   

Os investigadores acrescentam que nem toda a mortalidade foi causada por M. brunneum, uma vez que os grupos controle também sofreram mortalidade dos ovos devido a fungos saprófitas. Mesmo assim as larvas que nasceram em laboratório a partir de ovos tratados com M. brunneum foram mortas por este fungo, enquanto a mortalidade larval foi de 0% nos grupos controle.

As larvas jovens de ambas as espécies de processionária do pinheiro demonstraram ser também altamente suscetíveis a duas estirpes daquele fungo com uma taxa de mortalidade larval que variou entre 94% e 100%, 8 dias após a inoculação, sendo que a grande maioria das larvas morreram nos primeiros 2-4 dias.

A investigação abre portas a novas formas de combate à lagarta do pinheiro uma vez que a patogenicidade do fungo Metarhizium brunneum  para ovos e larvas jovens pode ser promissora para o controle biológico destas pragas de insectos.

Esta investigação internacional contou com participação de três investigadores portugueses do ISA:

- Manuela Branco – CEF - Centro de Estudos Florestais do Instituto Superior de Agronomia

- Hugo Gonçalves -  CEF - Centro de Estudos Florestais do Instituto Superior de Agronomia

- Arlindo Lima – LEAF - Centro de Investigação em Agronomia, Alimentos, Ambiente e Paisagem

 

Para saber mais sobre este assunto, veja o artigo publicado na Revista Biocontrol Science and Technology

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS: