You are here

Comportamento do nemátodo-da-madeira-do-pinheiro em diferentes espécies de pinheiros

16/09/2020 - 16:58

O Nemátodo da Madeira do Pinheiro (B. xylophilus ), um nemátodo de dimensão microscópica, é considerado actualmente como a maior ameaça de praga invasiva para as florestas de pinheiros da Eurásia.


Embora de pequena dimensão apresenta uma grande capacidade de reprodução e representa uma grave ameaça aos povoamentos de pinho, principalmente pinheiro bravo por ser um agente que causa a “doença da murchidão do pinheiro”.

Fig. 1 - Início de sintomas da murchidão em um dos pinheiros inoculados
  
A doença do pinheiro é favorecida por temperaturas elevadas e períodos de seca, mas o nemátodo do pinheiro (Bursaphelenchus xylophilus) também pode persistir em hospedeiros sem sintomas em áreas não propensas à doença do pinheiro. 

No estudo publicado recentemente na revista “Plant Pathology”, edição da “British Society for Plant Pathology” a equipa de investigadores do CEF analisou o comportamento do Nemátodo-da-madeira-do-pinheiro em duas áreas com invernos suaves e onde se sabe que o nemátodo do pinheiro está disseminado nas florestas locais: sudoeste da Europa (Portugal) e sudeste dos EUA (Louisiana).

                                                                                    
A equipa comparou separadamente o comportamento do
B. xylophilus no sudoeste da Europa (Portugal) e sudeste dos EUA (Louisiana). 
As espécies P. pinea, P. pinaster, e P. radiata foram testadas em ambas as áreas com inoculações de estirpes de
B. xylophilus locais. P. sylvestris em Portugal e P. palustris nos EUA também foram testadas. 


A mortalidade registada foi baixa, como se esperava, mas o estabelecimento de nemátodos foi comum, sendo que nas espécies P. sylvestris e P. radiata a densidade de nemátodos foi mais elevada e a espécies P. pinaster, P. pinea e P. palustris revelaram-se mais tolerantes. 


Fig.2 - Pinheiros inoculados com nemátodo-da-madeira-de-pinheiro

Os resultados da experiência de inoculação com isolados de nemátodos do pinheiro locais foram semelhante nas experiências portuguesas e norte-americanas.                         
No entanto, os resultados 
contrariam a hipótese de que os nemátodos dos pinheiro norte-americanos têm uma virulência tão baixa que são obrigatoriamente saprófitos, como foi anteriormente proposto.

As espécies de crescimento rápido (P. radiata e P. pinaster) revelaram-se mais susceptíveis de serem portadoras sem sintomas em áreas não propensas ao desenvolvimento da doença do pinheiro. As espécies adaptadas ao frio (P. sylvestris) podem ainda ser as hospedeiras adequadas para o agente patogénico, mesmo nas condições subletais das suas áreas de distribuição.

No seu conjunto, os resultados deste estudo indicam que a ecologia e o ciclo de vida das espécies de pinheiro funcionam como um melhor indicador da resistência/tolerância ao nemátodo do pinheiro do que a sua origem geográfica, mesmo em condições subletais com temperaturas mais baixas e com elevado teor de humidade.

As espécies de pinheiro de crescimento rápido, com características para se desenvolverem em níveis elevados de recursos, investem menos em defesa constituitiva e podem ser mais susceptíveis de serem portadoras sem sintomas em áreas não propensas ao desenvolvimento da doença do pinheiro. As espécies adaptadas ao frio podem ainda ser susceptíveis ao agente patogénico, mesmo nas condições subletais das suas áreas de distribuição. 

A química primária e secundária do floema do pinheiro pode representar um bom indicador da susceptibilidade das espécies de pinheiro que ainda não foram desafiadas pelo B. xylophilus.

Artigo completo: https://bsppjournals.onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/ppa.13241 
Pimentel, CS, McKenney, J, Firmino, PN, Calvão, T, Ayres, MP. Sublethal infection of different pine species by the pinewood nematode. Plant Pathol. 2020; 00: 1– 9. https://doi.org/10.1111/ppa.13241