You are here

Projeto do ISA premiado no ‘EUREKA Innovation Award 2014’

“LycopenRaman” é o projeto EUREKA EUROSTARS 4906 que ficou na 2ª posição da categoria ‘Added Value’

O júri de avaliação dos projetos candidatos ao ‘EUREKA Innovation Award 2014’ atribuíram 190 pontos, em 200, ao projeto EUREKA EUROSTARS 4906 “LycopenRaman”, ficando este na 2ª posição da categoria ‘Added Value’ (http://www.eurekanetwork.org/projects/success-stories/-/journal_content/...).

Este projeto tem como parceiros a RSP Systems A/S (Denmark), a Danish Technological Institute (Denmark), a Fomento da Industria do Tomate (Portugal) e o ISA/ULisboa (Portugal).

Segundo o júri, “The project consortium represents a good mix of SMEs and research institutions. There has been a good distribution of work in the project. All partners are well described in the application. The project represents an interesting and innovative combination of technology and application in a traditional industry. Industrial partners are focused on high quality food on emerging markets. Functional food is increasingly becoming an important societal issue. “

A EUREKA é uma organização intergovernamental orientada para a transferência de tecnologia das unidades de investigação para a indústria, funcionando como uma rede de facilitadores na coordenação do financiamento de apoio à inovação para a promoção da produtividade e competitividade das empresas europeias, nomeadamente no que respeita à exportação de produtos alimentares.

O pressuposto da EUREKA, no qual o projeto “LycopenRaman” se enquadra é de que o desenvolvimento tecnológico pode ser uma alavanca para o desenvolvimento das exportações de produtos alimentares da europa para o mercado mundial e, consequentemente, para o desenvolvimento económicos dos estados membros, do desenvolvimento sustentável e do emprego.

A importância deste projeto prende-se com o facto de Portugal ser um excelente produtor de tomate, em quantidade e qualidade, sendo este uma fonte de Licopeno (substância carotenóide que dá a cor avermelhada ao tomate e que é um antioxidante que, quando absorvido pelo organismo, ajuda a impedir e reparar os danos às células causados pelos radicais livres e tem também propriedades anti-cancerígenas) cada vez mais valorizado nos mercados europeus, asiático e australiano.

Para saber mais sobre este projeto clique aqui