You are here

Áreas de Investigação ForTec

O Grupo ForTec ForTec está organizado em três áreas:

  • 1. Economia circular baseada na madeira e seus derivados
  • 2. A cadeia global da cortiça
  • 3. Biorrefinarias, bioenergia e química verde

 

1. Economia circular baseada na madeira e seus derivados

A ligação entre o conhecimento e a inovação na cadeia da madeira é importante para maximizar a aplicação desta como matéria-prima e portanto à criação de novos produtos com elevado valor acrescentado, tendo por base o conceito de economia circular.

As atividades de investigação focadas em estudos anatómicos, na variabilidade de estruturas e composição biométrica das células de madeira e em outros materiais como as casca, folhas e raízes servem para apoiar a identificação em estudos eco-físicos como indicadores de adaptação de espécies, ou na avaliação destas matérias-primas em potenciais usos, por diferentes indústrias. O objetivo geral é contribuir para aumentar a sustentabilidade e a diversidade das florestas, valorizando a silvicultura Mediterrânica, garantindo a produção sustentável de madeira, a prevenção de incêndios florestais e a conservação de espécies.

A avaliação da composição química (conteúdo em extrativos e em lenhina) de várias biomassas por espectroscopia (NIR) através do desenvolvimento de modelos PLS-R é usada em programas de melhoramento para melhorar a qualidade da madeira.

Outra área de investigação associada a esta linha são os estudos de dendrocronologia, associados às alterações edafoclimáticas, e à datação de objetos arqueológicos e artísticos (pinturas, instrumentos musicais, esculturas e materiais de madeira arqueológicos). A ausência de estudos dendroarqueológicos em Portugal justifica o aprofundamento do conhecimento nesta área, promovendo o desenvolvimento de estudos multidisciplinares, com foco especial nos estudos anatómicos da madeira e na história da arte. Alguns desses trabalhos têm vindo a ser desenvolvidos em parceria com outros grupos de investigação do CEF e diferentes museus.

2. A cadeia global da cortiça

Aumento do conhecimento acerca das fontes de cortiça através do estudo de novas cascas ricas em cortiça (por exemplo, Q. cerris, Pseudotsuga menziesii, Betula pendula), tendo em vista uma cadeia mais global à base de cortiça.

Os projetos específicos incluem:

  • estudos fundamentais sobre a formação da cortiça e o seu fracionamento químico;
  • valiação do crescimento da cortiça, espessura da prancha e do ataque por agentes bióticos no contexto das alterações climáticas para uma gestão integrada;
  • previsão da qualidade da cortiça em termos de homogeneidade do tecido ao longo das extracções sucessivas;
  • variabilidade dos fenótipos de cortiça relacionados com a sua qualidade, conforme determinado por mecanismos genéticos e epigenéticos (em colaboração com o LEAF e com outros investigadores do CEF);
  • estrutura macromolecular in situ da suberina da cortiça, como principal componente polimérico das paredes celulares da cortiça;
  • a suberina da cortiça como fonte de produtos químicos de base biológica e de alto valor acrescentado, nomeadamente ácidos gordos polifuncionais de cadeia longa (em colaboração com parceiros industriais);
  • vincular a estrutura e a química da cortiça ao desempenho do produto no contexto das alterações climáticas.

3. Biorrefinarias, bioenergia e química verde

Investigação no domínio da bioenergia, particularmente no desenvolvimento de pré-tratamentos químicos da biomassa e conversão de hidrolisados ​​lenhocelulósicos (produtos de valor acrescentado, biocombustíveis líquidos) tendo por base o contexto das biorrefinarias.

Aplicação de diferentes metodologias (pré-tratamentos e fracionamento de componentes) para a desconstrução de materiais lenhocelulósicos (por exemplo, cascas, folhas, resíduos agrícolas e florestais) e o uso de fluxos laterais industriais (extrativos e lenhina) no contexto da biorrefinaria, para encontrar novos produtos de valor acrescentado a serem usados ​​como combustível, produtos químicos ou bioativos (ex. atividades farmacológicas) são o foco principal desta linha.
A filosofia do desperdício zero, a economia circular e os estudos de ciclo de vida também são considerados. Essa abordagem multidisciplinar aborda a cadeia de sustentabilidade na perspetiva das partes interessadas e da floresta-consumidor, incluindo a caracterização do produto, o desenvolvimento de novos processos e a inovação de produtos a partir de uma ampla gama de recursos naturais.

 

FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia