You are here

A cortiça como biossorvente natural para cinco pesticidas selecionados em amostra de água

25/06/2019 - 17:32

 

 

 

 

O presente estudo avaliou a eficiência da adsorção de cinco pesticidas (atrazina, fluazifop-P-butil, lactofen, lambda-cialotrina e cloropirifós) pelas cortiças de Quercus cerris e Quercus suber. Os estudos foram realizados em serie fazendo variar o pH (3, 7 e 9), temperatura (10, 20, 30 e 40 ° C), e tempo (0, 200, 400, 600, 800, 1000, 1200, 1400 e 1600 minutos) sendo que no final de cada tempo a água foi analisada para avaliar a percentagem de remoção de cada pesticida. As análises foram realizadas por Espectrómetria de Massa seguindo o protocolo de extracção de pesticidas SANCO / 10232/2006 da UE. Os resultados mostram que a maior eficiência de adsorção (80% e 70%) dos pesticidas ocorreu a pH 3, 30 ° C e 360 minutos. A adsorção de pesticidas seguiu uma cinética de pseudo-segunda ordem e pseudo-primeira ordem. Os resultados obtidos neste estudo mostram que as cortiças de Q. cerris e Q. suber podem ser utilizadas para desenvolver métodos alternativos, eficientes e económicos para o tratamento da água contaminada com pesticidas.

 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Link com acesso direto ao artigo: https://doi.org/10.1016/j.heliyon.2019.e01189